terça-feira, 18 de agosto de 2020

alerta gatilho

Eu nunca pensei que estaria escrevendo sobre isso aqui, mas sinto que preciso desabafar sobre um pesadelo que me atormenta a anos: ABUSO INFANTIL! Isso mesmo! Assisti esse vídeo da Jout Jout um tempo atrás e somado ao caso da menina que foi estuprada e engravidada pelo tio senti que precisava falar sobre o que eu passei quando criança como uma forma de desabafo/alerta. Talvez ninguém leia esse relato. Talvez ninguém assista o vídeo. Talvez ninguém acredite, mas eu preciso falar! Eu passei anos da minha vida tentando esquecer todas as vezes que fui abusada pelo meu tio quando eu tinha 9 anos. E sabe de uma coisa? Eu nunca consegui! Tudo aconteceu quando eu precisei ficar na casa desse meu tio, porque meu avô ia fazer uma pequena viagem (e eu estava de férias na casa dele) e eu lembro de ter ficado tão feliz de ir pra casa do meu tio, porque eu ia poder ter companhia pra brincar, já que ele tinha uma filha. Mal sabia eu que aqueles próximos dias seriam os piores da minha vida! Eu nunca esqueci de absolutamente nada. Toda vez que eu fecho os olhos eu lembro daquelas férias que tinham tudo para serem felizes e cheias de memórias boas e se transformaram em pesadelo e cicatrizes impossíveis de sarar. Eu lembro de tudo! Lembro do meu tio me tocando enquanto arrumava o meu cabelo. Lembro dele falando repetidamente que aquilo não era errado. Que era NORMAL! Que eu era uma MULHER e era normal passar por aquilo que eu nem sabia o nome. Lembro dele me ameaçando para que eu não contasse nada pra minha tia ou pros meus avós. Ele me fez ter medo, porque caso eu abrisse a boca ele ia desaparecer comigo e ninguém nunca mais ia me encontrar. Eu era uma criança! Eu estava a km de distância de casa e eu tive medo de nunca mais ver minha família! Lembro dele afirmando pra mim que ninguém acreditaria na minha palavra, pois ele era um HOMEM BOM, de boa índole. Ele conseguiu me amedrontar por dias e é óbvio que eu me calei! E foi assim que ele conseguiu abusar de mim não só uma vez, mas várias vezes! E ele só parou, porque certo dia ele quis ir além e ao tentar me estuprar, eu gritei assustada e minha prima apareceu a minha procura! Ela nem sabe, mas ela me salvou naquele dia! Lembro da raiva que os olhos dele lançavam sobre mim ao me empurrar pra longe dele enquanto se escondia da própria filha. Eu estava tão assustada que não conseguia parar de chorar e ai ele se “obrigou” a ligar pro meu avô e inventou alguma desculpa pra mim ir embora da casa dele. Lembro de ter ficado tão aliviada ao sair daquela casa que eu (na minha inocência) jurava que toda aquela dor e medo iam passar, mas eu estava muito enganada! Conforme o tempo foi passando eu fui percebendo que aquele pesadelo nunca iria embora! Por anos eu me senti suja e sim, tinha certeza que a culpa daquilo tudo era minha, afinal eu era mulher e era normal passar por aquilo tudo. Por anos e até hoje eu convivo com uma culpa que não é minha. E o pior é que ninguém da minha família sabe o que ele fez. E não sabem porque eu não tive coragem de contar!  Não tive coragem de denunciar...Tive medo! O mais cruel é pensar em quantas crianças passaram/passam por isso e ninguém sabe/vai saber. Só eu sei o quanto tentei achar “brechas” pra me abrir com alguma amiga e até com familiares mais próximos, mas não consegui. Ninguém deu ouvidos! NINGUÉM! Todo mundo tava ocupado demais com trabalho, reuniões, encontros...E os poucos que “tentaram” me ouvir no fim me disseram que eu isso tudo um dia ia passar e que eu ia aprender a lidar com esse sentimento sozinha, aliás eles não tinham passado por aquilo e então não podiam me ajudar :(

Enfim, fica aqui o meu apelo pra VOCÊ que leu esse relato até agora ou que assistiu o vídeo até o final: ESCUTEM AS CRIANÇAS! ACREDITEM NAS CRIANÇAS! Fiquem atentos aos sinais! DENUNCIEM TODO E QUALQUER ABUSO!

Nós precisamos ser o porto seguro das nossas crianças e precisamos SIM ensiná-las em como se protegerem de familiares/conhecidos/desconhecidos abusivos! Precisamos ensinar as crianças que nenhum conhecido ou estranho tem direito de encostar no corpo que é só delas. Precisamos falar sobre isso SIM para que outras Rafaelas não sintam na pele isso tudo.

Como eu queria que ninguém precisasse ler isso. Como eu queria que esse vídeo fosse desnecessário...Como eu queria não ter que lidar com esse pesadelo todos os dias! :(

26 comentários:

  1. Rafa, saiba que eu estou aqui para te ajudar e caso precisar conversar. Tá?
    Há uns anos atrás a minha irmã caçula foi estuprada por um garoto em uma festa.. eu te entendo como é essa sensação e revolta.

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  2. rafa, eu não tenho palavras pra descrever o que senti quando li seu relato. fica bem, ta? te mandei uma mensagem no insta mas disse que você não podia receber mais mensagens. de qualquer forma, queria que soubesse, que estamos juntas e que a gente não desista de acreditar que, um dia, não vai haver mais choro, nem tristeza por algo tão lindo, que é a inocência de uma criança ser quebrada de uma hora pra outra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela força e pelas mensagens, Liz! Significou muito pra mim! ♥

      Excluir
  3. Muito triste, isso acontece muito pelo mundo afora.
    Rezo muito pelas vitimas inocentes!

    ResponderExcluir
  4. Eu sinto muito pelo o que aconteceu com você e pelo o que acontece com tantas crianças por ai. É desesperador ver que as crianças estão tao desprotegidas e também não conseguem encontrar alguém para confiar. E o pior, é que se elas conseguirem se abrir para alguém são chamadas de mentirosas ou coisas piores.
    Eu tentei ao máximo de não ler os comentários sobre o caso recente, pois tinha muita gente falando absurdos e eu não estava com clima para aturar isso.
    beijos
    http://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Rafa!
    Li seu relato com aperto no coração😔
    Obrigada por compartilhar com a gente, eu sinto tanto por você infelizmente ter passado por isso queria lhe dar um abraço neste momento.

    Eu tenho 2 filhos e eu tento proteger eles ao máximo e explico desde sempre para eles.
    As crianças precisam saber se defender além da nossa proteção.
    A gente sempre conversa aqui em casa. Sou aquela mãe para todas as hora, a que cobra, a que brinca, a que da bronca, a que escuta.
    Meus filhos são minha razão de viver.
    Rafa, se precisar conversar mais...estou aqui❤ pode me enviar mensagem ❤
    bjs enorme e fica em paz

    Dri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dri querida, muito obrigada pela força, pelo abraço (senti daqui) e pelas palavras de apoio! ♥

      Excluir
  6. Olá, Rafa!
    Eu sinto muito que tenha passado por isso, sinto demais mesmo. É muito triste que você tantas outras pessoas passem por esse tipo de situação, eu não sei nem o que dizer.
    Essa situação da criança de 10 anos eu estive acompanhando e eu fico imaginando das que não conseguiram denunciar.
    De verdade, se sinta abraçada, seu relato é importante demais e pode ajudar pessoas que passaram por essa terrível e desumana situação, nunca se cale, seu relato é importante demais.
    Caso precise de algo, por favor, fale comigo, você não está sozinha.

    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela mensagem e pela força, Maria Eduarda! É bom saber que posso contar com vocês! ♥

      Excluir
  7. Seu relato realmente foi muito tocante pra mim, eu passei por um episódio assim na infância mas consegui contar pra minha mãe e ela agiu como pode naquela época.
    E com certeza é algo que não dá pra esquecer, a dor pode passar mas uma coisa como essa fica pra sempre na memória. Fico muito angustiada com esses acontecimentos, e é triste ver que exitem pessoas que compactuam com o silencio, muitas das pessoas na época agiram comigo da mesma forma que foi com você, mas nossa voz está ficando cada vez mais alta e nao devemos parar. <3
    Beijoss, Blog Seja Agridoce ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Bruna! A gente precisa falar..as coisas precisam mudar! Conta comigo também, tá? ♥

      Excluir
  8. Rafa, não sei o que dizer, apenas que queria te dar um abraço agora. Seu relato me fez lembrar de algo que aconteceu comigo, não no mesmo contexto, mas que também me marcou de maneira negativa, e isso se reflete até hoje na minha vida de certa forma. Hoje tenho tanto medo por minhas sobrinhas, porque essas marcas doem tanto e nunca esquecemos, por mais terapia que possamos fazer. Admiro sua coragem, espero que esse ato tenha te ajudado a aliviar um pouco do peso dessa memória horrível. Saiba que você não está sozinha, mesmo que nós leitores estejamos há quilômetros de distância.
    Um abraço bem apertado.
    Ava
    https://apenasava.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho e pela força, Ava! Isso significa muito pra mim! Mesmo! ♥♥♥

      Excluir
  9. Sinto muito querida
    Um abraço forte
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Eu sinto muito mesmo pelo o que vc passou, infelizmente não conheço nenhuma mulher que já não foi assediada ou estuprada pelo menos uma vez na vida, e eu mesma me incluo nessa. É horrível, e é uma coisa que a gente nunca esquece, nos marca para sempre.

    Eu não tenho filhos, mas meu primeiro sobrinho vai nascer daqui uns dias e eu estou decidida a ensinar isso tudo pra ele, que ninguém deve encostar no corpo dele e que ele pode me contar se isso acontecer. Eu acredito mais em crianças e em mulheres do que em homens.

    Muitas forças pra vc, lembre sempre que vc é uma pessoa maravilhosa e está muito acima de qualquer imbecil assediador.

    Beijos,
    Livro de Memórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, as marcas são eternas :( Muito obrigada por compartilhar comigo teu pensamento, Renata! Muito obrigada pela força! ♥

      Excluir
  11. Rafaela, querida, sinto tanto tanto tanto pelo que você passou. Ninguém JAMAIS deveria passar por isso, fico triste/revoltada/desesperançosa de saber que existem pessoas capazes de tamanha crueldade. Sinta-se abraçada, força sempre! <3

    ResponderExcluir
  12. Você é incrível, e o mundo é injusto demais, que bom que eu encontrei esse blog, que bom que você está aqui, e que teve coragem de contar. Sinto muito pelo que aconteceu, mas o universo sempre conspira, e conspira mesmo, e você não está sozinha. Te desejo coisas boas, abraços quentinhos e muito amor e empatia, as únicas coisas que ainda podem mudar tudo.

    Bru.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bru querida, muito obrigada por me escrever e por toda a força que depositou nesse comentário! Muito obrigada mesmo! Seja bem-vinda aqui! Conta comigo também! ♥

      Excluir

deixe o seu comentário :)